quinta-feira, 28 de julho de 2016

Elvira, a rainha das trevas

Apesar de já haver mencionado esses trágicos incidentes acho que merecem um destaque especial, já que são tão horripilantes quanto os outros. Mais uma história de terror escrita pela naja! Mencionei esse incidente em: http://infernodanora.blogspot.com.br/2016/04/ensaio-sobre-cegueira.html Era um dia comum de verão, estava lavando minhas roupas e cuidando da minha vida. Nessa época (infelizmente) morava no quintal da minha querida sogra e vivia pisando em ovos com ela. Lá estava eu, de mangas arregaçadas, esfregando minhas roupas no tanque quando toca a campainha da casa da estimadíssima naja. Fingi que não ouvi e continuei tomando conta da minha vida. Ouvi a naja limpando a casa, então sabia que ela estava para atender o portão. Como ela não aparecia, decidi descer para atender a visita, mas eis que ela surge e, para o espanto geral da nação, estava com um vestido branco transparente e dois mamilos enormes apontando para o chão. O homem que estava no portão n]ao sabia se olhava para os olhos na cara dela ou os olhos do peito, evidentemente constrangido. A sem noção parece que nem percebeu (ou nem ligou) para aquele farolete cegando o pobre rapaz. Ela usa esse vestido sem sutiã até hoje, então cheguei a seguinte conclusão: Ou ela não tem amigos ou só tem inimigos porque ninguém nunca chegou nela e disse: "Virou a globeleza pra desfilar pelada?" rs

0 comentários:

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates