terça-feira, 7 de junho de 2016

Disco riscado

Era uma bela tarde de sábado, até a campainha tocar. Meu coração deu um salto, já sabia quem era antes mesmo de atender. Espio pelo olho mágico e vejo a peruca laranja que minha sogra gosta de chamar de cabelo e não tenho outra alternativa, além de abrir a porta.
Deixo aquele encosto entrar em minha casa, ela se senta no sofá e, sem nem dar boa tarde, começa a destilar seu veneno.
- Nossa, hoje fiquei pensando no meu filho, coitado.
Lá vem essa naja com esse papinho...
Não dei bola, fingi que não ouvi sua voz irritante.
- Tadinho do meu filho, foi la em casa hoje tão preocupado. Sentou no meu sofá tristinho, perguntei o que ele tinha e ele disse que está preocupado com as contas, agora que vocês se mudaram pra casa nova.
Já me senti tremula de raiva, pois sabia onde essa história ia acabar.
- Pagar as contas da casa sozinho é muita coisa pra ele, coitado.
Pensei em pegar o banana depois e amassar com casca e tudo. Como ele ousava ir no covil chorar? Ele sabia que ela ia jogar isso na minha cara.
Não aguentando mais, respondi de uma só vez:
- Ele não estava preocupado. - respondi. - Estava só cansado de ouvir a senhora falar em dinheiro!


1 comentários:

Anônimo disse...

Eu li seu blog inteeeeiro em uma tarde.. sua escrita eh maravilhosa.. com certeza eu leria varios livros seus.. ja pensou em ser escritora? Desculpa por rir dos seus casos deve ser horrivel passar por tudo isso.. mas os nomes q vc da e a forma como conta eh hilario alegrou o meu dia q estava bem estressante e triste.. por favor escreva mtoooooo mais

Postar um comentário

Template by:

Free Blog Templates